Páginas

terça-feira, 20 de setembro de 2011

As dificuldades.

Evangelho Segundo Espiritismo para Infância e Juventude - vol 2.

CAPÍTULO XXIV - Carregar a cruz.




INTRODUÇÃO.


Todos temos sofrimentos. Como uma cruz, devemos carregá-los. Para isso devemos ter fé. Acreditar na vida eterna e na felicidade suprema que podemos alcançar, se formos bons. Portanto, não devemos reclamar do sofrimento, pois ele tem o poder de nos fazer amadurecer.

Nunca se esquecer que:

"A prece é o pão do espírito."

Perguntar as crianças:

O que essa frase quer nos dizer? (Revigora, alimenta, sustenta, dá forças... ao nosso espírito.)

Por que temos que passar pelas dificuldades?

Por que uns sofrem mais que os outros?


Compreender que:

*As dificuldades nos fazem crescer, evoluir, amadurecer...

*Ninguém pode carregar o fardo do outro. Cada um com a sua "cruz".

*O Pai não dá um fardo maior que não possamos suportar.








Uma pequena história que nos faz refletir sobre a função dos obstáculos e das dificuldades que encontramos ao longo da existência.




A LIÇÃO DA BORBOLETA



Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo.

Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais.

O homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar com o tempo.

Nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vidas. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria desprotegidos. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido.

Nós nunca poderíamos voar...



(Autor desconhecido)




A vida é assim: pedimos força e recebemos dificuldades para nos fazer fortes; pedimos sabedoria e recebemos problemas para resolver; pedimos coragem e recebemos perigos para enfrentar; pedimos amor e recebemos pessoas com problemas para ajudar; pedimos favores e recebemos oportunidades. Talvez não recebamos exatamente o que pedimos.

Mas sempre temos tudo de que precisamos.


1 comentários:

Escolinha Espírita disse...

Muito Bom! Sem dúvida é preciso ensinar a crianças o Viver a Vida, expandindo suas consciências; para que cresçam e se tornem adultos com muito mais virtudes do que defeitos.
Parabéns!
Elaine Saes