Páginas

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Posso melhorar o mundo.



Objetivo:

Refletir sobre a nossa parcela de envolvimento e responsabilidade na construção de um mundo melhor.


Analisar que a esperança em mudanças para um mundo melhor, sem pobreza, fome, violência... depende de nós mesmos.


Entender que sem ações as mudanças não acontecem.



TEXTO 1


O PLANETA DURÃO.

Numa galáxia muito distante um planeta vermelho, o planeta Durão, começou a escurecer, chamando a atenção e cientistas de planetas vizinhos. Estes cientistas, com poderosos telescópios e sondas espaciais, resolveram investigar e observaram que os seus habitantes agiam com muita dureza uns com os outros. O egoísmo era o sentimento dominante no coração de todos.

No ônibus todos se atropelavam para conseguir um lugar e via-se jovens e crianças maiores bem acomodados em seus bancos enquanto deficientes físicos, senhoras grávidas ou com bebês no colo e pessoas idosas iam em pé, sendo completamente ignorados pelos que estavam sentados. Ninguém sequer segurava um pacote daqueles que estavam em pé.

Nos bancos, lojas, ou qualquer lugar onde houvesse uma fila, todos, irritados, pensavam num meio de passar à frente dos outros.

Nas ruas e shoppings movimentados iam se empurrando:

_Sai da frente, seu lerdo!

_Esse velho pateta deveria ficar em casa ao invés de atrapalhar os que tem o que fazer!

Nas escolas, os alunos também se atropelavam para entrar e sair. Nas salas de aula todos falavam ao mesmo tempo. Nos lares havia discussão o tempo inteiro: pelo banheiro, pelo último copo de refrigerante ou o último pedaço de bolo.

E o planeta ia ficando cada vez mais escuro. O ar era pesado e a violência cada vez maior. Todos se queixavam, colocavam a culpa no Governo, nas autoridades, nas leis...


Na mesma galáxia, existia um outro planeta mais evoluído. Ele era todo colorido com muito azul, rosa, verde...

Seus habitantes observavam preocupados seus vizinhos do planeta Durão:


_Do jeito que vai, logo haverá uma guerra e o planeta poderá ser totalmente destruído! Será que podemos ajudar?

Os líderes do planeta colorido resolveram então enviar vários agentes secretos para uma missão que parecia ser...impossível! Os agentes receberam as instruções secretas e foram teletransportados para o planeta Durão.

No dia seguinte em vários pontos do planeta começaram a acontecer fatos inéditos. Num ônibus lotado um menino sorridente cedeu o lugar para uma gestante. Em seguida, o ônibus deu uma freada e ele esbarrou o pé em um senhor. Quando o homem, irritado, ia reclamar, ele disse:

_Desculpe, senhor, foi sem querer!

Todos fizeram "OOOhhh", pois esperavam que o menino apenas desse de ombros ou mostrasse a língua como desaforo. Logo o ambiente dentro do ônibus foi se transformando. As pessoas começaram a se sentir mais leves ao admirarem o comportamento daquele menino. As palavras "com liçença", "por favor", "muito obrigado", passaram a ser utilizadas pela maioria das pessoas.

Os agentes disfarçados de porteiros, guardas, babás, cozinheiras, motoristas e tantas outras profissões, contagiavam a todos, com seus exemplos de educação, bondade e alegria de servir ao próximo.


As pessoas perceberam que a vida é muito mais do que brigar o tempo todo para ser sempre o primeiro. Que ceder o lugar para quem precisa dá muito mais prazer e satisfação do que passar na frente ou por cima dos outros.


Aos poucos a cor do planeta foi se modificando e quanto mais as pessoas se respeitassem e se ajudassem, mais puro o ar ficava. Não havia mais tanta doença ou violência. Os agentes secretos viram então que a missão estava cumprida e que poderiam voltar para o seu planeta de origem.


Quando as naves chegaram para buscá-los, um bando e crianças que estava ali perto os descobriu e perguntou:


_Ei! Vocês são alienígenas? De que planeta vocês são?


E eles, sorrindo e abanando a mão, disseram:


_Sim, somos amigos e estamos voltando ao nosso lar, o planeta Gentileza!


As crianças também acenaram e não se esqueceram da gentileza que muda a visão de todos.


Desconheço o autor.

Atividade

A história pode ser apresentada com massinha de modelar. Preparar duas bolas de massinha (os dois "planetas", um com cores alegres e outro com cinza, roxo e preto). Preparar também algumas figuras humanas, a nave e ir utilizando no desenrolar do texto. Quando o planeta Durão começa a mudar, colocar massinha colorida sobre a bola escura.


Compreender que...


* Não existem alienígenas, apenas espítitos habitando em outros mundos, tendo a sua aparência totalmente diferente de nós.

* Deus nos envia pessoas (os agentes), sem que percebamos para conviver conosco, servindo como exemplo para que sigamos.


A nave ( falar do aerobus) veículo usado no Mundo espiritual.

* Não é o mundo que é ruím, são as pessoas que nele estão que não se melhoram.


TEXTO 2

A Estrela Verde.

Era uma vez... Milhões e milhões de estrelas no céu. Havia estrelas de todas as cores.: brancas, lilazes, prateadas, douradas, vermelhas, azuis. Um dia, elas procuraram o Senhor Deus, Todo-Poderoso, o Senhor Deus do Universo e disseram-lhe: - Senhor Deus, gostaríamos de viver na Terra, entre os homens. - Assim será feito, respondeu Deus. Conservarei todas vocês pequeninas, como são vistas, e podem descer à Terra. Conta-se que naquela noite, houve uma linda chuva de estrelas. Algumas se aninharam nas torres das igrejas, outras foram brincar e correr com os vagalumes, no campo, outras misturaram-se aos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada. Porém, passado algum tempo, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para o Céu, deixando a Terra escura e triste. - Por que voltaram? perguntou Deus, a medida que elas chegavam ao Céu. - Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra. Lá existe muita pobreza, muita desgraça, muita fome, muita violência, muita guerra, muita maldade e muita doença. E o Senhor lhes disse: - Claro, o lugar real de vocês é aqui no Céu. A Terra é o lugar do transitório, daquilo que se passa, do ruim, daquele que cai, daquele que erra, daquele que morre, é onde nada é perfeito. Aqui no Céu, é o lugar da perfeição. O lugar onde tudo é imutável, onde tudo é eterno, onde nada padece.Depois de chegarem todas as estrelas e conferindo o seu número, Deus falou de novo: - Mas está faltando uma estrela. Perdeu-se no caminho? Um anjo, que estava perto retrucou: - Não, Senhor. Uma estrela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que seu lugar é exatamente onde existe imperfeição, onde há limites, onde as coisas não vão bem. - Mas que estrela é essa? Voltou Deus a perguntar. - Por coincidência, Senhor, era a única estrela dessa cor. - E qual é a cor dessa estrela? insistiu Deus. E o anjo disse: - A estrela é verde, Senhor. A estrela verde do sentimento de esperança. E quando então olharam para a Terra, a estrela não estava só. A Terra estava novamente iluminada, porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa. Porque o único sentimento que o homem tem e Deus não tem é a esperança. Deus já conhece o futuro, e a esperança é própria da natureza humana. Própria daquele que cai, daquele que erra, daquele que não é perfeito, daquele que ainda não sabe como será seu futuro.

Que a estrela verde permaneça sempre em nossos corações.

Autor desconhecido.




Dinâmica: A Estrela Verde

Objetivo: Refletir sobre a esperança diante das adversidades.


Material: texto para oito pessoas, 06 estrelas( 01 branca, 01 prateada, 01 dourada, 01 vermelha, 01 verde e 01 azul) e estrelas verdes para cada aluno da classe.




Procedimento:

- Escolham 08 pessoas e distribuam o texto abaixo para cada uma: 06 pessoas para representar as estrelas, 01 para representar o anjo e 01 para ser o narrador.


Narrador: Havia milhões de estrelas no céu. Estrelas de todas as cores: brancas, prateadas, douradas, vermelhas, azuis... Um dia, elas procuraram Deus e lhe disseram:

(6 pessoas entram segurando estrelas nas cores branca, prateada, dourada, vermelha, verde e azul)

Estrela 1: Senhor Deus, gostaríamos de viver na Terra entre os homens.
Narrador: Assim será feito, respondeu o Senhor. Conservarei todas vocês pequeninas, como são vistas e podem descer a Terra.

(As pessoas com as estrelas saem)


Narrador: Conta-se que naquela noite, houve uma linda noite de estrelas. Algumas se alinharam nas torres altas das igrejas, outras foram brincar de correr com os vaga-lumes nos campos, outras se misturavam nos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada. Porém, passando o tempo, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para o céu, deixando a Terra escura e triste.


(Cinco pessoas com as estrela entram, com exceção da verde)


Narrador: Por que vocês voltaram? Perguntou Deus à medida que elas chegavam ao céu.
Estrela 2: Senhor, não foi possível permanecer na Terra. Lá existe muita miséria e violência. Muita maldade e injustiça...

Narrador: E o Senhor lhes disse: Claro! O lugar de vocês é aqui no céu. A Terra é o lugar do transitório, daquilo que cai, daquilo que morre, onde nada é perfeito. O céu é o lugar da perfeição, do imutável, do eterno, onde nada perece.


Narrador: Depois que chegaram todas as estrelas, conferindo seus números, Deus falou: Mas está faltando uma estrela, perdeu-se no caminho? E um anjo que estava perto respondeu:
Anjo: Não Senhor, ela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que seu lugar é exatamente onde existe a imperfeição, onde há o limite, aonde as coisas não vão bem, onde há luta e dor...
Narrador: Mas que estrela é essa? Perguntou o Senhor.

Anjo: É a ESPERANÇA, Senhor. A estrela verde. A única estrela desta cor.

Narrador: E quando olharam para a Terra, a estrela não estava só. Havia uma estrela verde no coração de cada pessoa.
( A Esperança entra e entrega uma estrela verde para cada participante)


Texto adaptado para dinâmica por Sulamita.

FONTE: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/2010/05/dinamica-estrela-verde.html


0 comentários: